Realidade Aumentada

Hoje em dia, uma das expressões que está mais em alta no ramo da tecnologia é a Realidade Aumentada. Não é por menos: mesmo sendo uma tecnologia relativamente recente, o sucesso que grandes marcas como Coca-Cola, Zara, Google, Ikea, L’Oréal e Disney obtiveram com suas campanhas de marketing digital usando a realidade aumentada demonstra como essa nova ferramenta veio para revolucionar diversos setores da indústria. Apesar disso, a realidade aumentada não serve apenas como uma ótima ferramenta para o marketing, e ainda é muito comum que vejamos confusão na hora de classificar as diversas aplicações da realidade aumentada. Esse vídeo da Weather Channel, por exemplo, é classificado pelo usuário como realidade aumentada, apesar de se tratar de efeitos especiais em chroma key.

Parte dessa confusão vem do fato dessa incrível tecnologia ser um sucesso tão recente. E é por isso que, nesse artigo, iremos esclarecer tudo sobre Realidade Aumentada, desde sua funcionalidade básica até os vários casos de sua aplicação.

O que é realidade aumentada?

Em sua definição mais básica e pura, a Realidade Aumentada (também chamada simplesmente de RA) trata-se uma experiência interativa onde elementos do mundo real são “aumentados” por um computador. Isso é feito ao incluir novas informações nessa perspectiva do mundo real, sejam elas visuais, auditivas ou outras. Essas informações sobrepostas não são apenas uma amostragem de dados, mas sim elementos sensorialmente projetados para que sejam percebidos como integrados ao próprio ambiente real. Com o uso da RA, a informação sobre o ambiente real a nossa volta torna-se interativa e manipulável. Nesse sentido, a RA altera a percepção do próprio ambiente do mundo real, enquanto a realidade virtual meramente substitui o ambiente do usuário por um espaço digital e simulado.

 

As primeiras aplicações comerciais da realidade aumentada foram usadas para a indústria de entretenimento e jogos, mas mais recentemente, outros mercados já se interessaram pelas amplas possibilidades que a imersão da RA proporciona. Por exemplo, o uso da Realidade Aumentada demonstrou-se útil para o setor de educação, corporativo, de comunicações e até mesmo para construção civil, através do uso de capacetes equipados com RA para mostrar informações sobre um local de obras.

 

Hoje em dia, a forma mais prática de ter a experiência da Realidade Aumentada está no nosso bolso: pelo smartphone. Através da tela do celular, o usuário pode perceber novos elementos visuais sobrepostos sobre as imagens produzidas pela câmera do smartphone. Nesse caso, geralmente um aplicativo fica encarregado de processar as imagens do mundo real detectadas pela câmera e calcular onde, como e quando sobrepor os elementos virtuais sobre elas. A estratégia de trazer a realidade aumentada para o ambiente mobile já está prometendo ser um grande sucesso comercial para as tecnologias de RA graças às vantagens da portabilidade dos dispositivos móveis e da natureza onipresente das câmeras de smartphones, atualmente indispensáveis na maioria dos modelos populares.

Como funciona a realidade aumentada?

Existem diversas técnicas para atingir o efeito de imersão da Realidade Aumentada. A mais comum e prática atualmente, encontrada nas experiência em RA para mobiles, é o uso de marcadores (mais conhecidos como markers). Tratam-se de imagens pré-processadas pelo aplicativo de forma que ele possa detectá-la no mundo real quando vista através da câmera do celular. Configurar um marker de boa qualidade, com bastante contraste entre as cores e sem padrões geométricos repetidos, permite que o aplicativo use-o de âncora espacial no mundo real e utilize seus dados de ângulo, distância e perspectiva para injetar o elemento virtual sobre as imagens da câmera com a mesma orientação, a fim que ele pareça inserido no espaço real.

 

Os markers podem ser posteriormente impressos para serem colocados no mundo real, onde se deseja que a imersão ocorra. Essa técnica de RA é bastante popular para marketing por introduzir um elemento impresso na experiência, podendo ser material promocional desde embalagens, páginas de revista, panfletos, chegando até mesmo à imagens carregadas para um site ou para redes sociais.

 

Mais recentemente, dispositivos mais avançados, equipados com giroscópios e bússolas, podem usufruir de realidade aumentada sem o uso de markers através da técnica de SLAM (Simultaneous localization and mapping). Com ela, o aplicativo utiliza tanto as informações de orientação dos acelerômetros no celular quanto os dados detectados nas imagens da câmera para estimar a posição e orientação do elemento virtual sobre o mundo real, dispensando o uso de markers. Apesar da praticidade, essa técnica ainda não é muito difundida por requerer sensores e dispositivos de alta-performance e por, de certa forma, desassociar a interação de RA do mundo real ao descartar o elemento físico da experiência. Apesar disso, o popular jogo mobile Pokémon GO atingiu recordes de download e rentabilidade com seu uso de RA sem markers.

TRANSFORME SUA IDEIA EM REALIDADE AUMENTADA





Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
WhatsApp chat